Sexta-feira, 10 de Abril de 2009

"Conhecer-me"

de Álvaro de Campos

 

Começo a conhecer-me. Não existo.
Sou o intervalo entre o que desejo ser e os outros me fizeram,
ou metade desse intervalo, porque também há vida…
Sou isso, enfim…
Apague a luz, feche a porta e deixe de ter barulhos de chinelos no corredor.
Fique eu no quarto só com o grande sossego de mim mesmo.
É um universo barato.

tags:

postado por panck às 01:56
link do post | oPinar | favorito
Segunda-feira, 27 de Agosto de 2007

Think Dude =)

Levis Carrol é mundialmente conhecido pelos seus livros sobre Alice, mas na realidade ele era um lógico de Oxford. As dez frases seguintes são-lhes atribuídas e você é convidado a deduzir a única conclusão a que elas conduzem:

I. Os únicos animais que existem nesta casa são gatos.
II. Todo animal que é de estimação, gosta de contemplar a lua.
III. Quando detesto um animal, evito-o.
IV. Nenhum animal é carnívoro, a não ser que vagueiem durante a noite.
V. Nenhum gato deixa de matar ratos.
VI. Nenhum animal falou comigo, exceto quando estão nesta casa.
VII. Os cangurus são animais de estimação.
VIII. Apenas animais carnívoros matam ratos.
IX. Eu detesto animais que não falem.
X. Os animais que vagueiam durante a noite gostam sempre de contemplar a lua.

tags:

postado por panck às 23:04
link do post | oPinar | favorito

I'll Kill You Anyway ...!

tags:

postado por panck às 22:26
link do post | oPinar | favorito
Sexta-feira, 1 de Dezembro de 2006

hatred

The night came bursting through the hours…

my floating mind was unexpectedly caught off guard while I thought of you, picturing you right there next to me, I couldn’t bring myself to stop hoping my love for you would die and yet, I still think of you…It’s no longer love or desire…it’s pure pain… I pity myself because of you…I live through you, no longer knowing how I can live just by myself.. You feature in my dreams…even when I can shut you out of my thoughts during the day…you’re a constant. One I don’t have control of. Never did, never will. You are the one that as control over me, a spell named obsession, a torturing conscience that allows me to recognize this is not love. This is sick. May be sick is the new love: “Falling in sick”.

I hate you…so very much.. I hate you as much as I love you. May be even more.. And I miss you painfully. It hurts more than words can ever say. I feel it will always hurt. You make it hurt. It is your fault. I blame you, I really do. Why do you have do be so lovable? Why do you have to make me miss you? Why did you make me fall in love with you? I blame you. I hate you for that. I love you because of that and I hate you for that.

And even as I write this along, I can’t stop imagining how fabulous it would be if you were still here, by my side. And everything would be in the right place. You…here. But.. who am I kidding? Yes I do love you, I believe so… despite not being able to resume what I feel in a simple word like love without being hesitant.. What’s the rush in defining what it is that we are feeling? If someone likes one another, there is no rush. There shouldn’t be any rush at all. There shouldn’t be any worries, nor the stupid preoccupation in expressing yourself by a simple and banal word as “love” is.. Nevertheless, that is not the question. What’s important is that we liked each other…until life got in the way. And now, I feel like I’m drifting apart from this fucking world. Everything seems so pointless and hallow.

I wanna run away. I just want to run away. I know it’s the cowardless thing to do, but hey…who said that wasn’t a coward? Not me, I’m sure. Either way, life is what you make of it. And I don’t plan to live mine knowing that I’ve wasted another minute with you in my mind. Erase. “That’s why pencils have rubbers, right?”. So…here is my goodbye. My “see you later” to you…

 

 

 

j t kff


postado por panck às 23:54
link do post | oPinar | ver oPinanços (1) | favorito
Terça-feira, 27 de Junho de 2006

Rorschach test - what do you see?

tags:

postado por panck às 21:38
link do post | oPinar | ver oPinanços (1) | favorito
Segunda-feira, 26 de Junho de 2006

Senta-te e Ri

Cmo é k se põe um elefante a secar?

…xateia-lo, xateia-lo, xateia-lo…ele vai aos arames e é só pôr as molas…

 

K nome se dá a um boomerang k na volta?

…pau…

 

Vão 2 grãos de areia no deserto. Vira-se um pó outro:

…acho k tamos a ser seguidos…

 

O k diz uma banana suicida?

…macacos me mordam…

 

Cmo é kum elefante atravessa o rio?

…saltando suavemente de nenúfar em nenúfar…

 

Vira-se um tomate para outro:

…tomatas-me…

 

Vão dois supermercados a voar. Vira-se um pó outro:

…olha, na devíamos tar lá em baixo pás pessoas poderem entrar em nós e comprar coisas?

…eu não.. eu sou o Supermercado..!

 

Estão 2 germes na cama. Vira-se um pó outro:

…tu germes muito?...

 

K nome se dá a uma minhoca com sono?

…dorminhoca…

 

Kual é o cúmulo do vegetarianismo?

…ir com a namorada para trás da moita e comer a moita…

 

Estão 2 balões no deserto. Vira-se um pó outro:

…cuidado cos cactosssssssssssss…

tags:

postado por panck às 03:56
link do post | oPinar | favorito
Sábado, 24 de Junho de 2006

"My Mom Said I Could" ad

 

tags:

postado por panck às 01:12
link do post | oPinar | favorito

A "enguia"

Joãozinho, depois de ter passado a noite vigiando a irmã que namorava no sofá da sala, conta para a mãe tudo o que viu:

- Mãe, a Suzana e o namorado apagaram a maior parte das luzes e sentaram-se. Ele ficou perto dela e começou a abraçá-la. A Suzana deve ter começado a ficar doente visto que a sua face começou a ficar vermelha. O namorado deve ter percebido e colocou-lhe a mão por dentro da camisa para sentir o coração, demorando porém muito tempo a encontrá-lo. Penso que ele também começou a ficar doente, porque ambos começaram a arfar e a ficar sem respiração. A outra mão dele também devia estar fria, porque ele meteu-a por baixo da saia da Suzana, que começou logo a escorregar para o fundo do sofá e a dizer que se sentia muito quente. Depois de algum tempo consegui ver o que estava realmente a provocar aquela doença: uma enguia enorme tinha saltado das calças dele, deveria ter uns 17 cm de comprimento. Assim que avistou-a Suzana agarrou-a para impedir que ela fugisse. Disse então que era a maior que já tinha visto até aquele dia! De repente, não sei por que, Suzana ficou brava e tentou matá-la comendo-lhe a cabeça, mas parece que não conseguiu e ainda deixou-a escapar. Nisso o namorado dela tirou um saco de plástico do bolso e enfiou a enguia dentro, para que ela não tornasse a escapar. Ao ver isso, Suzana tentou ajudá-lo deitando-se de costas e prendendo a enguia entre as suas pernas enquanto o namorado deitava por cima dela. Nisso a enguia começou a se debater, mas eles, corajosamente, tentavam esmagá-la entre eles. Suzana gemia, gritava e o namorado quase que virava o sofá de tanto esforço. Passado algum tempo, ambos continuavam a gemer, a mexer até que soltaram um grande suspiro de alívo. O namorado dela levantou-se e por certo tinham matado a enguia. Eu sei que estavamorta porque a vi dependurada. A Suzana e o namorado estavam cansados da batalha e sentaram-se no sofá e começaram a confortar-se um ao outro. Para animá-la ele começou a beijá-la e, diabos me levem se a enguia que estava morta, não voltou a saltar e a luta recomeçou novamente. Mãe, eu penso que as enguias são como os gatos, tem sete vidas ou mais! Desta vez a Suzana saltou para cima dele e tentou matar a enguia sentando-se nela. Depois de uma luta de 35 minutos, acabaram finalmente por matar a enguia. Eu sei que desta vez ela morreu, porque vi o namorado da Suzana esfolá-la e jogar a pele pela janela.

postado por panck às 01:04
link do post | oPinar | favorito
Sexta-feira, 23 de Junho de 2006

Unspeakable

There are children standing here,
Arms outstretched into the sky,
Tears drying on their face.
He has been here.
Brothers lie in shallow graves.
Fathers lost without a trace.
A nation blind to their disgrace,
Since he's been here.

And I see no bravery,
No bravery in your eyes anymore.
Only sadness.

Houses burnt beyond repair.
The smell of death is in the air.
A woman weeping in despair says,
He has been here.
Tracer lighting up the sky.
It's another families‚ turn to die.
A child afraid to even cry out says,
He has been here.

And I see no bravery,
No bravery in your eyes anymore.
Only sadness.

There are children standing here,
Arms outstretched into the sky,
But no one asks the question why,
He has been here.
Old men kneel and accept their fate.
Wives and daughters cut and raped.
A generation drenched in hate.
Yes, he has been here.

And I see no bravery,
No bravery in your eyes anymore.
Only sadness...

"No bravery" by James Blunt

tags:

postado por panck às 14:03
link do post | oPinar | ver oPinanços (1) | favorito
Quinta-feira, 22 de Junho de 2006

Live Long Enough To Find The Right One

 

tags:

postado por panck às 03:09
link do post | oPinar | favorito
user(s) online

.mi

.pesquisar

 

.Abril 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


.coisinhas recentes

. "Conhecer-me"

. Think Dude =)

. I'll Kill You Anyway ...!

. hatred

. Rorschach test - what do ...

. Senta-te e Ri

. "My Mom Said I Could" ad

. A "enguia"

. Unspeakable

. Live Long Enough To Find ...

. Os 11 pecados bíblicos

.arquivos

. Abril 2009

. Agosto 2007

. Dezembro 2006

. Junho 2006

.tags

. todas as tags

.Relógio

.subscrever feeds